Ética e Filosofia da Linguagem – I (DFD5927 )

Créditos:8

Ativação:04/01/2018

Curso:Mestrado/Doutorado

Expiração:04/01/2023

Objetivos:
Este curso se destina a ampliar a compreensão do papel da retórica e da hermenêutica nas decisões jurídicas, a partir da pragmática da linguagem tal como foi desenvolvida pelo Professor Emérito Tércio Sampaio Ferraz Jr. Esse objetivo será alcançado por meio da análise:
a) dos conceitos básicos da Filosofia analítica.
b) dos argumentos jurídicos e do contexto no qual são aplicados.
c) dos argumentos jurídicos, frente à dogmática do direito.

Bibliografia:
ADEODATO, João Maurício. Ética & retórica: para uma teoria da dogmática jurídica. São Paulo: Saraiva, 2009.
ALEXY, Robert. Teoria da argumentação jurídica. Trad. Zilda Hutchinson Schild Silva. São Paulo: Landy, 2001.
ALVES, Alaôr Caffé. Lógica: pensamento formal e argumentação – elementos para o discurso jurídico. São Paulo: Edipro, 2000.
ARISTÓTELES. Retórica. Trad. Manuel Alexandre Júnior; Paulo Farmhouse Alberto; Abel do Nascimento Pena. Lisboa: Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa, 2005.
ATIENZA, Manuel. As razões do direito: teorias da argumentação jurídica. São Paulo: Landy, 2003.
AUBENQUE, Pierre. A prudência em Aristóteles. Trad. Marisa Lopes. São Paulo: Discurso Editorial, Paulus, 2008.
BERTI, Enrico. As razões de Aristóteles. Trad. Dion Davi Macedo. São Paulo: Loyola, 2002. Capitulo V, A retórica, p. 157-187.
BITTAR, Eduardo Carlos Bianca; ADEODATO, João Mauricio (Coords.). Filosofia e teoria geral do direito: homenagem a Tercio Sampaio Ferraz Jr. São Paulo: Quartier Latin, 2011.
BOBBIO, Norberto. Teoria geral do direito. Trad. Denise Agostinetti, São Paulo: Martins Fontes, 2008, especificamente: “a norma como proposição – imperativos e comandos” p. 52-82; “as prescrições jurídicas”, cap. V, p. 125-157; “a definição de direito” p. 180-184.
______. Estudos por uma teoria geral do direito. Trad. Daniela Beccacia Versiani. Barueri, SP: Manole, 2015.
BOURCIER, Danièle et al. Le discours juridique : analyses et méthodes. Langages, Paris, année 12, n. 53, mars 1979.
BULYGIN, Eugenio. En defensa de el dorado. Respuesta a Fernando Atria. In: ATRIA, Fernando et al. Lagunas en el derecho. Madrid: Marcial Pons, 2005.
CAPELLA, Juan-Ramón. El derecho como lenguaje: un análisis lógico. Barcelona: Ariel, 1968.
CAMPILONGO, C. Política, sistema jurídico e decisão judicial. São Paulo: Max Limonad, 2002.
DE LUCCA, Newton; SIMÃO FILHO, Adalberto; LIMA, Cíntia Rosa Pereira de (Coords.) Direito & Internet III: marco civil da internet (Lei n.12.965/2014). Tomo 2. São Paulo: Quartier Latin, 2015.
DUCROT, Oswaldo. Princípio de semântica jurídica: dizer e não dizer. São Paulo: Cultrix, 1972.
FERRAZ JR., Tércio Sampaio. O direito, entre o futuro e o passado. São Paulo: Noeses, 2014.
______. A ciência do direito. 2. ed. São Paulo: Atlas, 2010. p. 50-67.
______. Teoria da norma jurídica. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense, 2009.
______. O conceito de sistema no direito. São Paulo: Ed. Rev. do Tribunais, 1976.
GUERRA FILHO, W. S. et.al. Estudos do imaginário jurídico. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2016. v. 1.
HAFT, Fritjof. Direito e linguagem. In: KAUFMANN, A; HASSEMER, W. (Orgs.). Introdução à filosofia do direito e à teoria do direito contemporâneas. Trad. Marcos Keel. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2002. p. 303-326.
KRAUT, Richard et al. Aristóteles: a ética a Nicômaco. Trad. Alfredo Storck et al. Porto Alegre: Artmed, 2009. p. 204-216.
LAFER, Celso. Filosofia e teoria geral do direito: um percurso no direito no século XXI. São Paulo: Atlas, 2015. v. 3.
______. A reconstrução dos direitos humanos: um diálogo com o pensamento de Hannah Arendt. 8. reimpr. São Paulo: Cia das Letras, 1988.
LOSANO, Mário. Lições de informática jurídica. São Paulo: Resenha Tributária, 1974.
MARANHÃO, Juliano. Estudos sobre lógica e direito. São Paulo: Marcial Pons, 2013.
MORAES, Alexandre de. Direitos humanos fundamentais. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2003.
PERELMAN, Chaïm; OLBRECHTS-TYTECA, Lucie. Tratado da argumentação: a nova retórica. Trad. Maria Emantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 1996.
______. Le raisonnable et le déraisonnable en droit: au-delà du positivisme juridique. Paris: LGDJ, 1984.
SAUSSURE, Ferdinand de. Curso de linguística geral. Trad. Antonio Chelini; José Paulo Paes; Izidoro Blikstein. 7. ed. São Paulo: Cultrix, 1975.
KAUFMANN, A; HASSEMER, W. (Orgs.). Introdução à filosofia do direito e à teoria do direito contemporâneas. Trad. Marcos Keel. Lisboa: Calouste Gulbenkian, 2002.
SOLON, Ari Marcelo. Hermenêutica radical. São Paulo: Marcial Pons, 2017.
TSOHATZIDIS, Savas, L. (Org.). A filosofia da linguagem de John Searle: força, significado e mente. Trad. Luiz Henrique de Araújo Dutra. São Paulo: Unesp, 2012.
WARAT, Luís Alberto; ROCHA, Leonel Severo. O direito e sua linguagem. Porto Alegre: SAFE, 1995.
ZINGANO, Marco (Coord.). Sobre a ética nicomaqueia de Aristóteles: textos selecionados. São Paulo: Odysseus, 2010

Ministrantes

Filosofia e Teoria Geral do Direito